Páginas

terça-feira, 29 de janeiro de 2008

Cremona - A terra do violino

Hoje fui fazer uma matéria para o caderno especial da Folha que sairá no Dia da Mulher. O entrevistado foi o Túllio Santini, um famoso chefe de cozinha de um restaurante italiano que leva o seu nome, e que fica aqui de Ribeirão Preto.
A matéria foi espetacular, principalmente porque ele me passou muito mais informações que eu precisava, e no bate-papo informal ele me contou a história da criação do violino na Itália, que aconteceu em sua cidade de origem chamada Cremona, no norte do país, conhecida como a terra do violino.
O primeiro violino fui criado por Andrea Amati em 1574, nesta mesma cidade. O instrumento caiu no gosto dos italianos e mais tarde alcançaria a admiração mundial. Como a cidade passou a ser conhecida por esta criação, logo mais artesãos quiserem entrar na onda e também fabricar seu próprio violino.
Foi o caso de Antonio Stradivari, que criou o melhor violino do mundo em 1669 e seu invento carrega até hoje seu nome em latim, como é conhecido mundialmente : Stradivarius. Hoje, existem apenas seis espalhados pelo planeta e cada um deve custar cerca de US$ 20 milhões. A diferença deste para os outros violinos, é a qualidade de madeira que foi usada em sua confecção e o inigualável som que ele produz. Segundo Túllio Santini, a madeira é muito importante pois ela é viva, é como um organismo, por isso ela faz toda a diferença.
O museu, que abriga os últimos instrumentos originais em Cremona, recebe milhares de visitantes, mas antes que as portas sejam abertas, cada instrumento deve ser tocado por pelo menos 15 minutos ao dia. Assim, ele não perde a elasticidade de suas cordas, e continua a produzir músicas por várias gerações.
Bom, agora você já sabe um pouco mais sobre o famoso Stradivarius. Um abraço, até a próxima

74% dos jornalistas jovens querem deixar profissão, diz pesquisa dos EUA

Um estudo da Universidade de Ball State, no Estado de Indiana, nos Estados Unidos, apontou que 74,5% dos jornalistas com menos de 34 anos estão decididos (31%) ou pensando (43,5%) em deixar a profissão.
Os números da falta de motivação entre os jovens superam a média dos entrevistados: 25,7% dos jornalistas pensam em deixar a profissão, enquanto 36,2% disseram-se em dúvida quanto à carreira.
Entre os motivos da desistência estão os baixos salários, a longa jornada de trabalho e o estresse.
Os jornalistas que deixarão a profissão não vão, necessariamente, abandonar a indústria da mídia, diz a pesquisa. Alguns serão free-lancers, outros pensam no setor de Relações Públicas. Entre outras opções está buscar uma carreira acadêmica e cursar outra área de estudo.

Fonte : Comunique-se de 29/1/2008

É, pessoal, me parece que tem muito jornalista insatisfeito com a profissão, não só com o salário, mas também com as condições de trabalho. Achei esta matéria super interessante e quis compartilhar com vocês.
Beijos, até a próxima

segunda-feira, 28 de janeiro de 2008

Dica de Livro : Rompendo a cerca - A história do MST


Pessoal,

A dica de leitura de hoje é um dos melhores livros que já li, ou melhor, estou lendo no momento: Rompendo a cerca - A história do MST, de Sue Branford e Jan Rocha.

A historinha da aquisição do livro : Sou leitora e assinante da Caros Amigos. Quando renovei minha assinatura em 2006 através do site, ganhei este livro, que fazia parte de uma promoção da época. Sinceramente, não tinha prestado muito a atenção na promoção, e me surpreendi muito ao receber um livro em casa, que veio do nada. Aí, logo liguei na editora e me informaram que eu havia ganhado. Amei! Se tem uma coisa que eu amo é ganhar livros, ainda mais assim, inesperadamente. Bom, já contei como consegui, então vou falar do livro.

O mais interessante dessa narrativa é que ela foi feita por duas jornalistas norte-americanas que acompanharam de perto a hístória do MST, que é, provavelmente, o mais ambicioso movimento social da América Latina contemporânea. Considero leitura essencial para qualquer um que tenha interesse em nosso país e queira a informação sem rabo-preso da grande mídia, que só deturpa o ideal deste movimento. ) O livro apresenta o MST como algo digno e humano, explorando o seu surgimento, sua evolução e contextualizando-o com outros tantos movimentos de diversos países ou épocas. O prefácio é do meu jornalista favorito, José Arbex Jr.

Gente, leiam este livro antes de atirarem pedra no movimento e entendam um pouco mais sobre o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra. Aí cada um tira suas próprias conclusões. Se quiserem, podem mandar comentários e a gente discute.
O livro tem 398 páginas e é da Editora Casa Amarela.

Boa leitura, beijos

Vídeo engraçado por demais da conta

video

Oi, gente,

Recebi o vídeo acima de um colega aqui da empresa e achei hilário. Espero que gostem também.

Beijos, até a próxima

Dica de filme : A Dama na Água




Olá, pessoal

Como é de fácil verificação no meu perfil, sou cinéfila, viciada, doida, doente e apaixonada pela sétima arte. Assisto muitos filmes durante a semana, sou figurinha fácil nas salas de cinema e nas videolocadoras, e quando a grana encurta vejo os que tenho em casa ou os que passam na TV mesmo. Hoje vou dar a dica de um filme fabuloso, para quem gosta de realismo fantástico e histórias que são fábulas, vai amar certamente este filme.

Vamos começar do começo então. Um dia meu marido chegou em casa,( ah, ele também ama filmes, não é tão viciado como eu, mas graças a Deus ele compartilha esta paixão comigo), então, voltando, ele chegou em casa e disse :"Vi um trailler muito legal de um filme que fiquei com vontade de assistir. Vamos na locadora?". Concordei na hora, e 15 minutos depois estávamos de volta com o tão esperado "filme muito legal". Confesso que de início fiquei apreensiva, porque mesmo amando cinema, eu e meu marido às vezes temos gostos não muito parecidos. Ele por exemplo, adora filmes de macho com ação, como costumo chamar, eu já prefiro fábulas, filmes cult, histórias de amor, entre vários outros gêneros. Mas após 20 minutos de filme, já estava surpreendida com a história.

Pequena Sinopse : Cleveland Heep (Paul Giamatti, aquele do Sideways....) é um síndico/zelador de condomínio onde vivem pessoas pitorescas. Mas, na noite que muda irremediavelmente sua vida, Cleveland encontra outra pessoa se escondendo na rotina mundana do prédio modesto – uma jovem misteriosa chamada Story (Bryce Dallas Howard), morando sob a piscina do prédio.
Cleveland descobre que Story é na verdade uma “narf” – um personagem como uma ninfa, de uma história infantil épica, que está sendo perseguida por criaturas malignas que querem impedir que ela faça a perigosa viagem de volta do nosso mundo para aquele de onde veio.
Os poderes especiais de percepção de Story revelam os destinos dos moradores do prédio, colegas de Cleveland, que estão ligados diretamente ao dela própria, e eles devem trabalhar juntos para decifrar uma série de códigos que vão abrir o caminho rumo à liberdade da narf.
O filme é cheio de realismo fantástico e de uma sensibilidade incrível. Os personagens coadjuvantes roubam a cena e tornam a história cada vez mais envolvente. No início eles parecem ser apenas peças de decoração, mas no decorrer do filme eles se tornam peça fundamental para o desenvolvimento da história.

Ficha completa do filme:

Elenco: Paul Giamatti (Cleveland Heep), Bryce Dallas Howard (The Lady), Freddy Rodríguez, Jeffrey Wright, Bob Balaban, Sarita Choudhury, Mary Beth Hurt, Cindy Cheung, Joe Reitman.

Direção: M. Night Shyamalan
Gênero: Suspense
Distribuidora: Warner Bros.
Ano:2006


Bom, já está recomendadíssimo. É uma ótima opção para estas noites de chuva e pouca opção na TV aberta. Minha nota para o filme é 9, apenas porque gostaría que tivessem explorado mais o mundo da narf, tornaria o filme um pouco mais fabuloso, digamos. Se você já viu o filme, pode deixar seu comentário.
Um abraço e até mais.






sexta-feira, 25 de janeiro de 2008

Pérolas da Propaganda - Para Ann Cécile


Gente, voltei mais cedo que pensei, mais serei breve. É que mal escrevi meus dois primeiros posts e a Ana Cecília perguntou :"Mas só tem isso?". Eu disse que tinha acabado de criar o blog, mas tudo bem. Para não deixá-la no vácuo até a próxima atualização, quero dedicar esta propaganda à ela. Foi tirada do Desencannes, um site que adoro e que tem muitas pérolas da propaganda nacional em diversos segmentos, e aproveito também para dizer que admiro o trabalho dos publicitários criativos, e espero que a Ana bote para quebrar quando se formar.
Bom, chega de atualizações por hoje, agora é ir para a casa e curtir a sexta-feira ao lado do meu maridão que eu amo de paixão.
Beijos e até a próxima.
Ah, crédito de criação para Edu Cury

Minha admiração pela Betty Boop


Bom, mal comecei o blog e já estou aqui de novo para explicar minha paixão pela personagem da Betty Boop, pois quem me conhece sabe como gosto dela, principalmente porque às vezes me disfarço dela no msn e também por possuir seus adereços como bolsas, camiseta, brincos, cheveiros, entre outros. Minha admiração vem pela sua atitude no início do século XX, quando as mulheres ainda estaram opacas na sociedade. A Betty Boop é uma personagem de desenho animado que tinha um jeito de garota independente e provocadora, sempre com as pernas de fora, exibindo uma cinta-liga. Foi em 1930 que a personagem imigrante judaica começou sua "carreira", em Dizzy Dishes, espelhando-se nas divas desta década, ao som de muito jazz. Ela entrou para a história, participando de mais de 100 animações.

Mas foi após 1934, o novo Código de Produção impôs uma censura à personagem. Em nome da moralidade, Betty não poderia mais exibir seus decotes nem suas roupas insinuantes. Era um pouco demais seu comportamento para o puritanismo norte-americano. Em 1939, Betty Boop foi proibida de aparecer nas telas pelo Comitê Moralizador após anos de perseguição.
Sua última aparição foi no cinema, em 1984, quando fez uma ponta em Uma Cilada para Roger Rabitt com o mesmo biquinho, as mesmas pernas de fora e cinta-liga. O engraçado é que mesmo sendo um desenho, ela mexia muito com a imaginação dos homens da época. Também, pudera né.

Quem quiser saber mais, visite o site Oficial da Betty Boop.
Espero que tenham gostado. Acho que por hoje é só, beijos e até a próxima.
Oiiiii, gente!
Depois de muito resistir às tecnologias, pois sempre resisto até onde posso, decidi enfim criar um blog para poder compartilhar com vocês meus desatinos em meio a vida complicada deste planeta. Assim, acabo por realizar um pouquinho do meu grande sonho de escrever. Alguns podem até achar engraçado, porque eu escrevo diariamente o dia todo, afinal sou editora de um site de notícias, mas não é a mesma coisa. Eu lido com fatos, notícias, textos impessoais, informativos. Aqui terei a possibilidade de mostrar um pouco do meu universo, meus pensamentos, minhas vivências, minha parca experiência de vida e de profissão e claro, quero dar muitas dicas de livros que leio, de filmes que assisto e de pessoas e lugares que conheço, e curiosidades que desejo compartilhar com vocês.
Peço licença para meus amigos e familiares para citá-los em meus textos, pois eles fazem parte de minha vida e podem estar em meus escritos ocasionalmente.
Um beijo e até breve