Páginas

sexta-feira, 14 de novembro de 2008

Vinho diet! Ebaaaa


Pessoal, que novidade tudo de bom para quem ama vinho e ama mais ainda não acrescentar calorias a mais ao corpitcho, hehe. Acabei de ficar sabendo que o Dr. Charles Thomas, fundador da vinícola Chateau Thomas em Indiana (EUA), está produzindo um rótulo chamado Slender - que pode ser traduzido como "delgado" - que é apresentado como "um vinho naturalmente adoçado e livre de açúcar, gorduras e carboidratos".
O segredo deste tipo de vinho é que eles são fermentados até se tornarem completamente secos, convertendo a maioria do açúcar em álcool. Em seguida, um agente adoçante de zero caloria é adicionado para imitar o efeito do sabor residual do açúcar.

São especialmente para diabéticos e para pessoas que vivem de dieta, como eu e o resto da mulherada. Eles vêm nas versões branco, rosé e tinto, o chato é que ainda não chegou no Brasil, mas a gente espera, ansiosamente.

Beijos, inté


quinta-feira, 13 de novembro de 2008

Perca um livro

Olá
Vocês já devem ter ouvido falar do bookcrossing, ou perca um livro em português. Para quem ainda não está familiarizado com o termo, isto significa você ler um livro e "perdê-lo", deixá-lo de propósito por aí em qualquer lugar da cidade, para que outra pessoa o encontre e o leia. Esta prática é muito difundida na Europa, e a idéia é fazer com que ela se popularize aqui também, e incentive a leitura. Eu achei o máximo, pois se nosso problema de o acesso ao livro é grana, que é caro para o nosso pequeno bolso, isso já facilita pois é de graça.
Bom, claro que para deixar um livro você tem que primeiro adquiri-lo, mas para começar você pegar algum que tenha em casa e já tenha lido. Ou comprar em um sebo, que sai super em conta e você encontra cada clássico. A parte boa é que quanto mais gente participar, mais livros você também pode encontrar por aí.
O seguinte, tem um pessoal aí que está organizando esse processo. Separei dois sites bacanas em que você pode imprimir a etiqueta para "perder" o livro, e estes sites acompanham quem perdeu e quem encontrou, para organizar essa ação e cada vez mais aumentar o número de participantes. Se você se interessou, como eu, visite o Livro para Voar e Livro Livre.
Você pode se cadastrar, imprimir a etiqueta, e contar o que encontrou por aí.
Eu ainda não tive a sorte de encontrar nada na minha cidade, mas também nem comecei a participar. Mas estou prevendo que esta semana vou perder um livro, e quem encontrar, por favor, leve para casa, leia e perca de novo, para que mais pessoas tenham esta oportunidade.
Beijos, até

segunda-feira, 10 de novembro de 2008

A Outra


Olá,
Dessa vez será um filme seguido do outro, mas tudo bem, vale muito a pena. A dica de hoje é A outra, história baseada no romance A irmã de Ana Bolena da britânica Philipa Gregory. O livro foi desenvolvido durante dois anos de muita pesquisa, que desencadou na descoberta de notas de rodapé de mais uma figura marcante desta história de uma das figuras mais fantásticas, da menina que desestruturou a Inglaterra para se tornar rainha. Este novo personagem seria Maria Bolena, até então pouco retratada em livros e documentos históricos.
Muitos já conhecem a hitória da rainha dos mil dias, como é conhecida Ana Bolena, mas este filme retrata mais a história como um triângulo amoroso entre Ana, o rei Herique VIII da Inglaterra e sua irmã Maria.
Para satisfazer a ambição de sua pai, Thomas Bolena, de entrar para a corte, Maria Bolena, mesmo casada com um filho de um mercador, vai para a corte e se torna amante do rei Henrique VIII para lhe dar um herdeiro que tanto anseia. A atual rainha havia lha dado apenas uma menina e tinha abortos constantes. Quando ela está prestes a dar a luz, sua irmã Ana volta de uma temporada na França e conquista o rei, pois sua ambição é se tornar rainha da Inglaterra. Apaixonado por Ana, que relutava em se entregar para ele, Henrique VIII ignora Maria e o filho, rompe com a Igreja Católica, se divorcia de Catarina e faz de Ana Bolena rainha da Inglaterra. Ana também lhe dá apenas uma menina ( Elizabeth I, a Rainha Virgem) e após constantes abortos é acusada de adultério, incesto e bruxaria e é decapitada em frente a torre de Londres, entrando assim para a história como uma das mulheres mais marcantes de todos os tempos.
O papel de Ana foi bem desempenhado por Natalie Portamann, uma das minha atrizes favoritas. Scarlet Johanson esteve bem melhor em outros filmes, mas acho que era o papel, sei lá, achei ela meio apática. Agora Eric Bana eu sinceramente não gostei, apesar de não ter estragado a história mas eu não gosto dele como ator. Mesmo assim, ele não perdeu o rebolado e o filme ficou nota 10.
O figurino também está excelente. Vale a pena!
beijos

segunda-feira, 3 de novembro de 2008

Ensaio sobre a Cegueira


O filme Ensaio sobre a cegueira do diretor Fernando Meirelles pode ter desagradado aos europeus no Festival de Cannes, mas me agradou e muito. Eu já conhecia a história, pois já havia lido o livro, mas adorei a perspectiva que o Fernando deu ao filme e como ele usou o branco como referência em quase todas as cenas para nos ambientar mais no tipo de cegueira que os personagens do filme passaram.
Fiquei muito curiosa sobre o filme, estava louca para vê-lo, pois este foi o único livro do Saramago que eu consegui ir até o fim. Nunca gostei dos livros dele, os cult de plantão podem me apedrejar, mas eu não gosto do texto dele, mesmo ele sendo nobel de literatura. Já fiz 3 tentativas e a única que consegui concluir foi o Ensaio, isto porque e história era muito interessante, não pelo texto dele, que considero dificil, chato, e sem nexo. Alguns dizem "ah, mas isto é literatura", mas para mim literatura é um texto simples e bem feito, e é muito mais difícil fazer um texto simples, pode apostar.
A história é inédita, um cidade anônima em que as pessoas começam de repente a ficar cegas, com uma cegueira branca, sem causas aparentes. Torna-se uma epidemia, causando um caos na sociedade. Os personagens, que não têm nomes, são postos em quarentena em um hospício e passam a viver de suas próprias regras. O filme, tanto quanto o livro, não pretende mostrar a causa e a cura, e sim, as relações humanas, a sobrevivência em meio a uma situação totalmente nova e inesperada, e que muda por completo a vida das pessoas, de forma a transformar suas crenças, sua moral, seus princípios para sobreviver.
Além disso, a estética do filme é maravilhosa, pois a direção de arte caprichou nos cenários brancos, aliás, o branco predomina no filme, as luzes brancas não intensas, pois a ideia é mostrar a cegueira branca. A ausência de cores fortes nos faz entrar cada vez mais no filme, e os cenários foram bem montados para passar a ideia de pandemônio em meio a uma crise inesperada.
Como sempre digo, melhor ler o livro antes de ir ao cinema, mas se vir o filme já basta, está muito bem explicado pelo Fernando. E bem interpretado por todos, especialmente por Julianne Moore.
Beijos,

sexta-feira, 31 de outubro de 2008

Gmail poderá enviar SMS

Acabei de receber essa notícia por e-mail e quero compartilhar. Tecnologias a nosso favor, pessoal! Melhorando cada vez mais nossos meios de comunicação.

"O Google está testando mais uma funcionalidade para os usuários do Gmail, seu sistema de e-mail. O novo serviço permitirá o envio de SMS por meio do Gmail Chat.

Ao contrário de outros recursos lançados pelo Google, o envio das mensagens ainda não está disponível para todos os usuários.A novidade será anunciada oficialmente através do Gmail Blog.

Para aqueles que quiserem testar, a página de instruções já está no ar e diz que quem estiver fora dos EUA também pode experimentar a função.

Nesse caso, a habilitação deverá ser feita manualmente. Os novos serviços podem ser acessados através do Google Labs." Fonte: Adnews.

Adorei!!!! beijos

terça-feira, 28 de outubro de 2008

E-reader


Olá
Semana passada acompanhei pela internet na medida do possível os acontecimentos da Feira do Livro de Frankfurt. ( Ah como queria conhecê-la!, esta e todas as outras feiras do livro do mundo todo). O que achei mais interessante de tudo foi a proliferação dos e-books.
Desde quando essa moda começou sempre dei crédito, mas não imaginava nunca que os e-books fossem substituir os livros de verdade. Nunca tive esse receio, porque cansa um pouco ficar lendo em frente ao computador. Ainda mais para quem trabalha o dia todo em frente ao micro, como é o meu caso, chegar em casa e apreciar uma leitura é tudo de bom, para quem gosta (ama) claro, mas definitivamente não será no computador, mas sim no aconchego das folhas de papel encadernadas, ora com capas duras, ora com capas moderninhas bonitinhas e cheirando a nova, como os lançamentos ou novas edições de clássicos.
O que a feira de Frankfurt mostrou de espantoso, e que me fez crer pela primeira vez no fim ( ou menor procura) dos livros comuns foram os novos modelos de e-books. São chamados de e-readers, e são como minicomputadores que podem conter milhares de livros, e que você pode levar para qualquer lugar dentro da bolsa. São pequenos, versáteis, e é possível lê-lo em qualquer lugar. Além do mais, você pode armazenar milhares mesmo de livros neste aparelhinho. Nem precisa ficar carregando aquele peso todo. (Eu não me incomodo, claro, pois diariamente carrego o peso bom de um livro comigo, mas imagina carregar um negocinho que deve pesar algumas gramas e em segundos sair da leitura de um poema de Mário Quintana e em seguida mergulhar no submundo de Havana, em seguida ler Suassuna, Fernando Sabino, Orhan Pamuk e Henry Müller???, é tudo de bom)
É, se preparem pois os e-readers vieram para ficar. Hoje custa em média US$200, mas breve será bem mais barato, e já terá dominado o gosto do público leitor e o mercado . Espero apenas que este artifício conquiste mais leitores e incentive este hábito tão importante, mas que infelizmente é desprezado pela maioria dos brasileiros.
Que venha o e-reader!

sexta-feira, 24 de outubro de 2008

Novo álbum do Keane


Comentei mês passado acho, que sairia o novo CD do Keane em outubro, o Perfect Simmetry. E não é que chegou mesmo! Eu sou suspeita pra falar, claro, porque sou muito fã da banda e achei o CD tudo de bom. Um pouco mais alto astral, mas sem deixar de ser o Keane.

Tem as versão Deluxe duplo, para quem tá afim de pagar R$ 75.

Eu amei! Ouça, depois me conta.

beijos

quinta-feira, 23 de outubro de 2008

Gabriel Garcia Marques - a Life


A primeira biografia autorizada de um dos meus escritores favoritos foi lançada esta semana e já está a venda na Europa. Trata-se da história de vida do escritor colombiano Gabriel García Marques, que é vencedor do prêmio nobel de literatura. O livro, Gabriel García Marques, a Life, do britânico Gerald Martin, é resultado de 15 anos de entrevistas com o escritor e um acompanhamento minucioso de sua vida. Além disso, o autor conversou com cerca de 300 pessoas envolvidas com Gabo ( seu apelido) entre amigos, políticos e familiares.

Eu, claro, estou louca para ler o livro pois sou fã incondicional do Gabo, e estou ávida para ler mais livros dele as well. Indico todos os que li : Cem anos de solidão, Memórias de minhas putas tristes, Amor nos tempos do cólera, Crônica de uma morte anunciada (que é muito engraçado). Assim que tiver um tempinho vou procurar ler o resto, inclusive a biografia, logo que ela chegar no país, claro. Aí depois eu conto.

Beijos, até a próxima

sexta-feira, 17 de outubro de 2008

Filmes de viagens lisérgicas me apetecem


Descobri recentemente que adoro filmes de drogados. Calma! Deixa eu explicar, rs. Em primeiro lugar, não é da conta de ninguém mas eu não uso drogas ( quem me conhece sabe), detesto qualquer coisa que me tire a lucidez, exceto vinho e chocolate. Em segundo lugar, filmes sobre drogados quer dizer esses filmes que falam de pessoas que vivem neste universo paralelo ( pelo menos pra mim) e como vivem em função da droga.

Claro que histórias deste tipo nem sempre acabam bem, é deprimente e sou totalmente contra o uso de drogas, porque tudo que se torna vício não faz bem, nem para o corpo e nem para a mente, mas cada um sabe o que faz de si, quem sou eu para falar alguma coisa. Ufa.

Bom, mesmo não sendo usuária e sabendo de todas as consequências do vício, eu adoro ver esse tipo de filme, porque, para mostrar o universo dessas pessoas que é totalmente diferente do meu, os diretores costumar "viajar" e criar cenas, imagens, cortes, situações e textos super bacanas, diferentes e ousados, que sai fora do padrão comum do cinema quadradão que conquista o cidadão comum, como costumo chamar.

E eu como gosto de cinema, de filme bem feito, que tenha boa história, boas cenas, bons cortes e que me surpreenda, traga algo novo, esse tipo de filme vem a calhar pois as viagens lisérgicas dos drogados rendem boas sequências que transformam um filme que poderia muito bem ser desprezado, em obra de arte.

Vou citar 3 filmes deste segmento que vi e gostei, mas há vários nas prateleiras.

Spun - Sem limites, de Jonas Arkelund de 2002 traz Brittany Murphy, Mickey Rourke, Jason Shwartzman, entre outros no elenco, foi uma co-produção EUA/Suécia e nem fez tanto sucesso no seu lançamento. O filme faz um mergulho de cabeça no mundo dos viciados em drogas e daqueles que as produzem. Spun mostra três dias deste mundo freak, sem controle. Sexo, drogas e rock and roll. O filme contém algumas cenas em animações, e mostra como fica a cabeça de alguém quando cheira cocaína, a reação do corpo, dos olhos, as viagens da mente.

Transpotting - de Danny Boyle de 1996 é antiguinho mas clássico (cult, tem que ver), foi o primeiro filme que vi com Ewan McGregor, e já gostei dele de cara. O filme foi baseado no livro de Irvine Welsh, e mostra a trajetória de Renton, um dos muitos jovens drogados do submundo de Edimburgo. Junto com seus amigos, vive loucamente até o dia em que decide abandonar o vício em heroína. A cena mais marcante é quando ele tem uma viagem que está dentro de uma privada. Arghhhhhhhh

Candy - de Neil Armfiel de 2006 ( Austrália) traz Heath Ledger no elenco e é mais depressivo e com menos cenas psicolédicas e de viagens, as vale a pena assistir, pois o filme mostra o paraíso e o inferno que vivem dois viciados em heroína que se amam e tudo o que são capazes de fazer para conseguir a droga, até perdem a dignidade. O filme vai fundo, toca feridas e deixa bem claro o que é ser um viciado, e que as glórias e o prazer do início não valem as consequências.


O próximo que ver e me lembrar eu posto aqui. Beijos

quarta-feira, 15 de outubro de 2008

Tortura me dá náuseas - Mayada

Da mesma maneira que estou de saco cheio de filmes e livros que falam sobre favelas, morros bandidos, tiros e afins, estou já um pouco saturada do tema tortura as well. Na inocência dos meus 13 anos achava que a tortura tinha sido extinta com a ditadura militar e todos viviam felizes para sempre. Até parece!!!
Depois de tomar conhecimentos de inúmeros casos, através de filmes, livros, documentários, reportagens e afins, me caiu nas mãos um belo livro, só não é mais belo por conta das torturas descritas nele. O livro se chama Mayada, da Jean Sasson, que ja comentei aqui mês passado, a mesma da trilogia da Princesa Sultana.
Mas desta vez o palco da história é o Iraque no comando de Sadam Husseim, com a história de uma mulher inteligente e guerreira que é presa e passa maus bocados na prisão, juntamente com mais mulheres que são presas e torturadas sob acusação de traição, que na maioria das vezes não correspondia a realidade.
O que mais me choca, tanto no livro quanto na realidade, é que muitas vezes a tortura só tem o fundamento de diversão (????????????????????!!!!!!!!!) e sadismo, e muitas vezes, mesmo que o tortura confesse o que o torturador pede ( mesmo sendo mentira) ele continua sendo torturado, pois o que percebi é que isto se tornou um prazer, uma rotina, uma triste rotina vivida ainda por milhares de prisioneiros de guerra.
Não fui a favor do que o Bush fez com o Iraque, porque não era da conta dele, mas Sadam Husseim é mesmo digno de ódios eternos, principalmente após esta leitura.
Mayada - Filha do Iraque de Jean Sasson.
Ótima leitura!!! Triste, mas vale a pena conhecer o Iraque de Sadam.
Beijocas, e até a próxima

terça-feira, 14 de outubro de 2008

Crise global afeta meus neurônios

Sem dúvida minha vida ultimamente tem sido só trabalho! Claro que tenho lido muito e devorado filmes, mas o trabalho me toma o tempo, principalmente esses últimos acontecimentos no mercado internacional. Essa crise global tem me deixado atenta aos noticiários na TV, internet e jornais. Não aguento mais!!!! Mas infelizmente esse vai ser assunto pra mais de metro, pois o pior nós vamos sentir ano que vem, de acordo com os especialistas.
Quando decidi fazer jornalismo nunca pensei partir para este lado econômico da coisa, mas mesmo não sendo especialista nisso é importante saber um pouco. Hoje entendo mais o que acontece no mundo e sei das consequências caso não haja controle ( se é que vai haver controle).
Recomendo a quem detestar economia procurar entender um pouco mais sobre o assunto, pois é fundamental saber como isso nos afeta.
Mudando de pato para ganso, se quiser mesmo fugir de tudo isso, recomendo a leitura O homem que matou Getúlio Vargas, de Jô Soares. Divertissimo e despretencioso!
Beijos, na próxima, deixo minhas impressões da obra, por ora, to com dor de cabeça e com calor. hehe

terça-feira, 7 de outubro de 2008

Minha cidade será comandada por uma mulher


Olá, demorei para abrir outubro por causa das eleições, portanto segue abaixo matéria publicada no Ribeirão Preto Online sobre a nova prefeita. Isso mesmo, a Prefeitura de Ribeirão Preto será cor-de-rosa em 2009.


Dárcy Vera será a primeira mulher a governar Ribeirão


Ribeirão Preto terá a partir de janeiro de 2009 a primeira prefeita mulher de sua história. A candidata do DEM, Dárcy da Silva Vera, 41 anos, que sempre permaneceu a frente da pesquisa IBOPE/EPTV, mostrou a que veio e conquistou a liderança da cidade com pouco mais de 52% dos votos válidos. Dárcy está atuante na política há pelo menos 18 anos, e tem em seu currículo quatro mandatos na Câmara Municipal como vereadora e um na Câmara dos Deputados como deputada estadual desde 2006.
Com esta vitória, Dárcy Vera começa a mudar o tradicional cenário histórico de Ribeirão Preto, que até hoje só foi comandada por homens e desde 1964 teve apenas seis prefeitos diferentes. Ela desbancou o atual prefeito e candidato à reeleição Welson Gasparini do PSDB, que disputou seu quinto mandato. Ele comandou a cidade em 1964, 1974, 1990 e 2004.
Conheça a nova Prefeita : Quem é Dárcy Vera?
Dárcy da Silva Vera nasceu em Indiaporã, no interior de São Paulo. Trabalhou como doméstica e cozinheira para ajudar a pagar a faculdade de jornalismo. Durante mais de 15 anos foi locutora de algumas rádios da cidade como Conquista FM, Diário FM e Difusora FM e na década de 90 foi para TV, onde apresentou um jornal na Rede Record.
Em 1992 ela decide entrar para política e conquista seu primeiro mandato de vereadora. Em 2004, Dárcy Vera foi reeleita para o seu quarto mandato consecutivo, se tornando a vereadora mais votada para a Câmara Municipal de Ribeirão Preto e a primeira mulher a dar posse a um prefeito na cidade.
Dárcy também apresentou o programa diário "Eu Acredito em Você" na TV Thathi, emissora Educativa de Ribeirão Preto em meio a sua vida política. Ela fundou e presidiu por mais de quatro anos, a Organização Maria Otília Neix, popularmente conhecida como Movimento do Bem, que desenvolve ações de inserção social voltadas para a população.
Principal liderança do Partido Democratas na região de Ribeirão Preto, a deputada Dárcy Vera foi a escolhida para governar Ribeirão Preto pela Coligação Ribeirão para todos (DEM, PMDB, PPS, PV, PR, PHS, PMN, PRTB, PSL, PTN, PSC, PRB e PT do B).

terça-feira, 30 de setembro de 2008

Balaio de Gato Pink

Hello
Hoje a dica é rapidinha mas é super bacana. Quero prestigiar o blog da minha amiga jornalista Camila Lagares, que infelizmente tenho visto pouco pois hoje ela mora em Uberlândia.
Há uns 15 dias ela me mandou um e-mail com o link do seu mais novo projeto, o blog Balaio de Gato Pink, que fala exclusivamente sobre Moda. Não só modinha de rua e do dia-a-dia mas a Moda de alta costura e dos grandes estilistas.
Não sabia que a Camila gostava tanto assim de moda e que pudesse ser tão competente em relatar às reles mortais o que acontece no mundinho fashion, mas a gente sempre se surpreende com as pessoas, e graças a Deus né.
Apesar de entender pouco do assunto, sempre acompanho os posts da Camila e vejo como a cada dia que passa ela fica melhor no que faz.
Boa sorte com seu blog, parabéns mesmo e saudades de você!!!!

PS1. Aniversário do meu amor, parabéns!!!
PS2. Aniversário da minha amigaça Carol que hoje mora em Londres, saudades amiga!!
Ps3. Niver do Pedro, filho da Dani!

segunda-feira, 29 de setembro de 2008

Lula assina hoje decreto sobre acordo ortográfico

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva assinará nesta segunda-feira (29), no Rio de Janeiro, em cerimônia na Academia Brasileira de Letras, decreto que estabelece o cronograma para a vigência do Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa. O Acordo Ortográfico prevê mudanças na língua portuguesa, como o fim do trema, a supressão de consoantes mudas, novas regras para o emprego do hífen, inclusão das letras w, k e y ao idioma, além de novas regras de acentuação.
O acordo entrará em vigor a partir de janeiro de 2009, mas as duas normas ortográficas --a atual e a prevista no acordo-- poderão ser usadas e aceitas como corretas nos exames escolares, vestibulares, concursos públicos e demais meios escritos até dezembro de 2012.
O Acordo Ortográfico foi assinado em Lisboa, em 16 de dezembro de 1990, para unificar o registro escrito nos oito países que falam português: Angola, Moçambique, Cabo Verde, Guiné-Bissau, São Tomé e Príncipe, Timor Leste, Brasil e Portugal. A medida, segundo o MEC (Ministério da Educação), deve facilitar o processo de intercâmbio cultural e científico entre os países e ampliar a divulgação do idioma e da literatura em língua portuguesa.

Ps. Matéria publicada hoje no UOL
PS2: Sou contra esse acordo ortográfico, pois ele virá mais para confundir do que para ajudar. Se bem que acho que Portugal irá sentir a mudança um pouco mais que os brasileiros, pois de qualquer forma, a maioria da população fala e escreve errado mesmo.
O número de analfabetos funcionais cresce mais que o número de analfabetos. Mas fazer o que, quem trabalha com o idioma, como os jornalistas e escritores terão que renovar seus dicionários e voltar para um cursinho express de português. Boa sorte pra gente!
beijos

quarta-feira, 24 de setembro de 2008

Princesa Sultana e suas histórias


Nossa, nem acredito que consegui voltar.

A dica de hoje é imperdível para os amantes da literatura. Em vez de um livro vou já indicar três de uma vez, pois eles compõem uma trilogia muito bem escrita e pesquisada pela escritora norte-americana Jean Sasson. Trata-se da história verídica de uma princesa da imensa família real da Arábia Saudita, no livro chamada por Sultana.

A escritora, que morou uma temporada na Arábia Saudita, fez amizade com a princesa e passou a conhecer sua vida íntima e de sua família. Inconformada com a situação das mulheres de seu país, a princesa autorizou que Jean contasse sua história para o mundo, com o intuito de despertar a sociedade para as péssimas condições de vida que uma árabe e muçulmana enfrenta ainda nos dias de hoje.

O resultado foi um forte relato que retratou com fidelidade como é ser uma mulher em um país muçulmano.

Em ordem: A Princesa, As filhas da Princesa e Princesa Sultana são leitura obrigatória, pois o texto é bom, a riqueza cultural e histórica é fantástica e foi praticamente escrito em tempo real.

Ps1. Todos os que foram relatados nos livros ainda estão no poder da Arábia Saudita, inclusive a princesa Sultana.

PS2: A autora continua escrevendo livros nesta linha, e como fiquei fã, estou em casa com o Mayada - Filha do Iraque. Vou começar esta semana e depois eu conto, prometo!

Boa leitura, beijos, bye

terça-feira, 23 de setembro de 2008

As sombras de Goya


É sempre a mesma história. Me esforço para postar algo diariamente, pelo menos de 2ª a 6ª mas nunca consigo. Por incrível que pareça, tem dias que mal dá tempo de ir ao banheiro.

Estava ansiosíssima para postar algo sobre o filme As sombras de Goya ( Goya´s Ghosts) que vi semana passada em casa.

Para começar, o filme é tudo de bom por causa do elenco : Javier Bardem e Natalie Portmann, tá bom pra você? Eu particularmente adoro os dois, e quando vi o cartaz do filme entrei correndo na locadora.

Além do elenco, o diretor Milos Forman acertou ao fazer um filme de época, que se passa na Espanha e conta uma história real. Bingo!

Outro ponto fortíssimo é a história, que envolve o pintor espanhol clássico e modernista Francisco Goya ( 1746-1828), mas não é necessariamente sobre ele. Trata-se da história de uma moça de boa família, Inés que foi pintada por Goya, e é acusada injustamente de heresia pela inquisição católica e vai para a prisão e sofre terríveis torturas. Lá, se envolve com o padre Lorenzo ( yes, ele mesmo). Passado alguns anos quando Goya fica surdo, e a França de Bonaparte toma a Espanha, e os antigos prisioneiros são libertos e o ex-padre Lorenzo se torna um revolucionário. Seu destino se encontrará novamente com o de Inés e de seu amigo Goya.

Claro que não vou contar o que acontece, foi só uma prévia.

Assistam, please, vale a pena cada minuto!

O filme é de 2007 mas só chegou recentemente aqui sem entrar no circuito comercial de cinemas. Uma pena!

Beijos e muito blues pra vocês

segunda-feira, 15 de setembro de 2008

Fotografias de Chris Jordan


OBS. A figura acima foi feita com 106 mil latas de alumínio , o número usado a cada 30 segundos nos EUA.

Olá,


Surfando na internet , encontrei um trabalho fantástico de um fotógrafo norte-americano chamado Chirs Jordan. Natural de Seattle CA, Chris faz um trabalho chocante e intrigante ao mesmo tempo. Ele fotagrafa coisas em quantidade supreendente, e faz sempre uma alusão a quantidade fotografada com a quantidade que o produto é usado, ou desperdiçado, etc. nos EUA.


Dessa forma, ele faz uma crítica a sociedade atual e mostra o exagero desmedido, tanto no consumismo quanto no desperdício ou mesmo nas nossas mais simples ações.


As fotos que vocês estão vendo é apenas um trabalho de vários. Quem curte fotografia, faça-me o favor de conferir mais no site de Chris Jordan.


Está dado o recado, beijos e muito bluesssssss


quarta-feira, 10 de setembro de 2008

Into the Wild


Na Natureza Selvagem ( Into the wild) foi sem dúvida um dos melhores filmes que já assisti (bom, acho que devo dizer isso pra todos que posto aqui, mas é verdade, juro!). E é claro que eu tava louca para ver por causa da trilha sonora, que foi toda elaborada por ninguém menos que meu ídolo Eddie Veder, vocalista do Pearl Jam, minha banda favorita.

Realmente a trilha sonora é perfeita, casa totalmente com o filme, impossível imaginar o filme sem as músicas e as músicas sem o filme, apesar de todas as canções irem bem em qualquer lugar.

O fato do filme tratar de uma história real também me motivou, pois acho filmes de histórias reais produções tão dificeis, e valorizo muito quando conseguem contar a história de forma emocionante. Faz com que nos sintamos mais perto dos personagens só de saber que o que está sendo relatado já aconteceu com alguém de verdade. Talvez nem tanto daquela forma, mas alguém já viveu aquilo tão intensamente que entrou para a história. E o Chris, personagem que deu vida ao filme, fez o que muitos de nós sentimos vontade de fazer pelo menos uma vez na vida, mandar todo mundo para o espaço, se desligar desta vida material, das amarras, horários, obrigações, e ir embora atrás de um sonho, viver num mundo onde não precise mais do que respirar, se alimentar. Onde o dinheiro não é necessário, e podemos ser livres.

Ele teve a coragem de doar sua poupança de anos no valor de US$ 24 mil para caridade, rasgou seus documentos e cartões, não levou nenhum dinheiro consigo, apenas seguiu o sonho de chegar até o Alasca. Neste percurso houve muitos encontros que marcaram sua vida.

Vale a pena em qualquer ocasião! Não vejo a hora de assistir de novo, e olha que destesto ficar repetindo filme.

Beijos, blues e bluesssssssss

terça-feira, 2 de setembro de 2008

Amo tirinhas!!!!!!!!!!!!




Oi, gente
Hoje só passei para compartilhar com vocês minha paixão por tirinhas. As meninas aqui do trabalho já sabem que quando surge uma risada do nada de manhã, certamente estou lendo as tirinhas. Não sei bem como começou, mas lembro-me bem uma época em que eu colecionava essas historinhas de jornal. Eu tinha uns 17 anos e assinava a Folha de S.Paulo. A primeira coisa que lia ( e ainda continua sendo, hehe) eram as tirinhas, e recortava as que gostava e colocava tudo em uma pasta.
Tudo ia muito bem até que um belo dia minha mãe decidiu fazer uma faxina daquelas e jogou tudo fora.
Fiquei super triste, parei de colecionar desde então, mas nunca deixei de ler.
Esses três são meus favoritos, o Hägar em especial, não sei bem porquê. Acho que ele é meio que o retrato dos homens e da família de uma forma geral. Acho ele simpático, engraçado e um tanto bobinho, e adorei lê-lo em alemão nas aulas que eu fazia.
A Mafalda já é mais um anão com discurso político dentro de uma garotinha, que arranca várias risadas e reflexões. O Garfield é mais para curtir mesmo, sem grandes pretenções políticas ou de cotidiano. Quem não tem um bicho preguiçoso desses em casa?
Há outros cartunistas que também gosto e respeito, aos pouco posto alguns aqui. Dos brasileiros gosto do Adão Iturrusgarai que faz a Aline e Rocky e Hudson, publicado na Folha de S.Paulo.
Por hoje divirtam-se com essas três, beijos, bye bye

segunda-feira, 1 de setembro de 2008

Scorpions encerra turnê internacional em Ribeirão Preto


Em 1965 na Alemanha Ocidental, os irmãos e guitarristas Michael Schenker e Rudolf Schenker decidem montar uma banda com os amigos Klaus Meine (como vocalista), Lothar Heimberg (no baixo) e Wolfgang Dziony (na bateria). Esse foi o comecinho da banda Scorpions, que só conseguiu gravar sua primeira fita demo e lançar seu primeiro álbum em 1972, quando a banda se lançou oficialmente no show business.

Após passar por reformulações e troca de integrantes, em 1976 a banda gravou o LP Virgin Killer, que se tornou um clássico na carreira do grupo e o consagrou no cenário do rock mundial.
Em 36 anos de carreira, já venderam mais de 75 milhões de cópias e dia 14 de setembro, a partir das 22h os fãs da banda poderão conferir de perto o estrondoso sucesso do Scorpions no Taiwan de Ribeirão Preto.
Segundo a ZKR Assessoria de Eventos, responsável pela vinda do Scorpions a Ribeirão Preto, antes do início da divulgação, há dez dias atrás, já haviam sidos vendidos quase metade dos ingressos. “Acreditamos que se esgotem antes do dia 10 de setembro”, comenta José Luis Ribas um dos organizadores. Segundo ele, o maior desafio está no investimento que está sendo feito e na preparação estrutural do local do evento. “A nossa idéia é colocar Ribeirão Preto no circuito dos grandes eventos nacionais e internacionais. A cidade cada vez mais, está se estruturando nesse sentido”, completa ele.
O show
Divulgação A apresentação em Ribeirão será um show "electroacústico" onde haverá uma parte unplugged, nos moldes do DVD Acoustica gravado em Portugal em 2001 e a outra parte será plugado, nos moldes tradicionais, agradando assim a todos os gostos e idades. Além disso, o haverá participações especiais como a do guitarrista Andreas Kisser da banda Sepultura e outras atrações ainda não reveladas pela organização.


Quer ver a banda alemã dia 14/9 no Taiwan? Então anota aí:
Preços:
R$ 140 pista

R$ 180 pista open bar

R$ 290 camarote VIP

R$ 350 cadeiras open bar
Consulte mesas para 6 pessoas.

Informações 16 3322 4184 ou 16 9188 8447 .
Oiii, mais uma do trabalho pra cá. Esta matéria foi publicada originalmente há 10 minutos atrás no Ribeirão Preto Online. Será o primeiro show de grande porte internacional da cidade, e as expectativas estão grandes. O som dos caras é muito bom. Quem tiver afim de ir não demora para comprar não, senão depois sobram os ingressos mais caros. Mas para quem é fã, vale a pena qualquer preço.
Beijos, bom show para quem for

sexta-feira, 29 de agosto de 2008

Debate morno e açucarado

1º debate entre candidatos a prefeitura foi morno

O 1º debate dos candidatos a prefeitura de Ribeirão Preto foi morno. Com início às 22h na TV Clube, o debate aconteceu no Centro Universitário Moura Lacerda.
No primeiro e no segundo bloco do programa, os candidatos perguntavam entre si, com réplica e tréplica. De maneira geral, o debate foi morno e açucarado, cada candidato se limitou a perguntar e responder sem criar muito caso com o oponente. Apenas nas tréplicas haviam algumas acusações.
Um dos momentos mais intrigantes foi quando o candidato pelo PSOL, Rubens Chioratto, indagou ao prefeito Welson Gasparini (PSDB) sobre a dívida que a prefeitura pegou em seu mandado, alegando que o valor dela nunca foi divulgado e porque a gasta-se tanto nas compras com os fornecedores. O prefeito se alterou diversas vezes ao ser questionado sobre o valor da dívida, e no fim das contas acabou não falando o valor novamente.
Outra questão que tirou o atual prefeito do sério foi quando a deputada Dárcy Vera comentou que a prefeitura se gaba de lançar a 3ª etapa do Distrito Industrial, mas na verdade só há uma empresa construída no local até hoje. Gasparini se alterou novamente. Ele disse ter ficado muito chateado com o comentário pois há várias empresas sendo construídas no Distrito Empresarial.
Feres Sabino falou sobre o presidente Lula e as ações do PT na prefeitura, Rafael Silva mostrou propostas para a Saúde e Daniel Lobo falou da importância de criar centros de lazer visando o bem-estar da população.
Ao final, jornalistas fizeram perguntas aos candidatos relativas a saúde, segurança, meio ambiente e planos de governos dos candidatos em geral.


Publicada originalmente em www.ribeiraopretoonline.com.br, em Política , foi minha impressão do primeiro debate na TV. Ainda falta pouco mais de um mês para as eleições municipais e acredito ainda que a chapa vai esquentar.
Quem me impressionou no debate foi Rubens Chioratto, chamado por todos de Rubinho, mostrou uma desenvoltura sem igual, senso de humor e habilidade com as palavras. Dárcy estava discreta e bem mais candidata, Rafael Silva super simpaticão, o Gaspa se alterou mas tentou manter a linha no "fala fala e não diz nada", Feres Sabino parece um tio defensor do PT e Daniel Lobo é meio atrapalhado com as palavras, conseguiu responder devendo tempo ao debate e me parece tímido.

Façam suas apostas. Ei teminha chato, prometo escrever outro post mais interessante da próxima vez, hehehehe
beijos, blues e bye!

quinta-feira, 28 de agosto de 2008

O hino da minha faculdade - Mr. Jones

Esses dias me deu uma saudade danada da época da faculdade. Talvez seja porque andei encontrando um pessoal da turma no show de blues. E também porque às vezes fico contando algumas histórias paras meninas do site, pro pessoal da academia, e já viu né, bate aquela vontade danada de voltar pra facul e fazer tudo de novo.

Pra mim foi tudo muito bom, o curso em si foi muito puxado, aprendi bastante, os amigos que fiz são inesquecíveis, e algumas são minhas amigonas do peito até hoje e pra sempre. As festinhas improvisadas nas repúblicas, o cartão diário que picávamos no Quinta Esquina, Casa Pueblo, Copo Sujo, Nosso Bar entre outros, os grupos de estudos para as provas de Filosofia, os churrascos regados a muito rock e blues ( só jornalistas fazem isso, hehe), as catuabas e os forrós, as canecas de chopp do Gaulês, os bate-papos na biblioteca, e para fechar com chave-de-ouro foi na facul que conheci o amor da minha vida, meu maridão. OBS. Te amo!!!

Mas toda esta nostalgia é para lembrar o hino que me acompanhou o curso todo. Gostávamos muito da música Mr. Jones, e de alguma forma ela tocava em qualquer evento que eu estava. A primeira vez foi a mais marcante, quando fomos para a Semana Estado de Jornalismo, no Estadão. Fomos e voltamos cantando esta música no ônibus.

Além disso, ela tocava em qualquer balada, festinha de república, no rádio, nas aberturas de qualquer coisa que acontecia lá, enfim, parecia novela, essa música surgia do nada e ficava embalando os acontecimentos. Claro que eu amo a música e ela ficou marcada. Hoje divido com vocês um clipe dela, que marcou uma geração: a minha.

Beijos, até a próxima

video

terça-feira, 26 de agosto de 2008

Festival de Blues trouxe novidades musicais para Ribeirão Preto


O Festival de Blues do Sesc 2008 vai ficar na memória de muita gente. Este ano, foram três dias de muita música, dois deles com ingressos totalmente esgotados e segundo os organizadores, mais de 5 mil pessoas lotaram o Teatro de Arena no final de semana. Não era para menos. A cada ano, o Sesc busca trazer novas bandas com diversidades culturais, que misturam o clássico ao contemporâneo e dá um resultado sem igual.



No primeiro dia, Théo Werneck Blues Trio cantou adaptações, como a canção “Negro Gato”, de Getúlio Cortes. Ricardo Vignini dedilhou blues na viola caipira, mostrando uma fascinante e incomum composição. Woody Mann fechou a noite com os clássicos do ritmo.
No segundo dia, o evento trouxe Nasi, o vocalista do IRA, que levantou a platéia. Depois veio a experiência de Lurrie Bell & Chicago Blues Band. O norte-americano que se apresentou no Brasil pela primeira vez, disse que estava muito emocionado e que adora os brasileiros.
No sábado (23), terceira e última noite Jefferson Gonçalves se apresentou ao lado de sua banda e mostrou o resultado de uma intensa pesquisa de melodias nordestinas, mescladas com o blues. A mistura parece estranha mas ao vivo deu muito certo e certamente conquistou os ribeiraopretanos. O show internacional ficou por conta de Mark Hummel, um ícone da gaita blues em todo o mundo. Junto com a banda Igor Prado Blues Band, Mark fez o público dançar e mostrou porque é considerado um dos cinco maiores gaitistas vivos. A apresentação misturou blues e swing, numa combinação que definiu seu som como incomparável. Mark Hummel levou a platéia ao delírio e deixou seu nome consagrado na história do Festival de Blues de Ribeirão Preto, que em 2009 completa 20 anos.
Obs. Esta matéria foi feita por esta que vos fala e publicada originalmente em Entretenimento no http://www.ribeiraopretoonline.com.br/. A foto é de Aline Barchelli, e toda a empolgação do texto é minha. Sim, eu amooooo blues, e o show deste ano foi demais. Sou suspeita para falar, digo isso todo ano, mas a apresentação de Mark Hummel foi fantástica, digna de bis eternos.
Para quem ainda não conhece Mark Hummel e o poder de uma gaita em suas mãos, dê um clique no site dele e fique por dentro. Fiquei sabendo que ele toca hoje no Sesc Consolação em SP. Quem puder, vá correndo, e aproveitem que é de graça.
Beijos, e muito blues para vocês.
Blues everyday.............

segunda-feira, 25 de agosto de 2008

Abusado


Até que enfim terminei de ler Abusado, de Caco Barcellos. A Fernandinha me emprestou na feira do livro em junho e arrastei esta leitura até o último final de semana. Claro que li entre 3 e 4 livros paralelamente para não me desgastar muito com a linguagem de bandido que Abusado tem. Adorei o livro, o texto do Caco é muito bom, preciso, pontual e de um português que dá orgulho de falar esta língua louca, porém linda. Além do ótimo texto, o trabalho de pesquisa que ele fez com os moradores da favela Donta Marta foi sensacional, principalmente com o protoganista, o traficante Marcinho VP. Ele mostrou o lado humano e social que este famoso traficante teve, como ele entrou no mundo do crime, porque não podia sair e o que ele pretendia fazer pela sociedade. Pena que ele morreu quando o livro foi lançado, supostamente por causa disto mesmo. Dizem as más línguas que o pessoal do CV- Comando Vermelho, não gostou nada do que ele contou ao Caco para a confecção do livro.


Eu tava louca pra acabar este leitura, porque, sinceramente, estou um pouco de saco cheio dessas histórias de crimes, violência, tráfico, cadeia, bandido, etc. Já não bastasse os telejornais e internet que nos lembram diariamente que vivemos uma guerra diária no RJ, agora a mídia decidiu tornar mais escancarada ainda a vida dos excluídos, como foi o caso de Carandiru ( livro e filme), Tropa de Elite, Cidade de Deus, entre outros do mesmo gênero. Abusado se enquadra nessa galera, pois conta a história da formação do Comando Vermelho e como funciona as bocas no tráfico carioca.


Apesar da leitura ter sido ótima para conhecer este outro lado que a gente ouve falar todo dia mas no fundo não conhece realmente o X da questão, quero distância deste tipo de literatura por um tempo. Já estava até falando como os bandidos do livro : "Aê vacilão, dá mole não senão leva pipoco, X9", e coisas do tipo.


Mas quem não leu, faça o favor! É lição de casa saber como funciona o tráfico de drogas no país. Assim dá para entender um pouco mais o que os moradores de uma favela passam por causa do tráfico e porque os jovens se envolvem cada vez mais neste tipo de vida.


Parabéns ao Caco Barcellos!!!! Claro que devemos saber o que acontece neste mundo que não é o meu, mas é o mundo de alguém, de vários alguéns inclusive, mas depois desta overdose da favela, quero me afastar do morro por enquanto. Minha dose já está completa.
Esta semana vou ler Albert Camus.
Beijocas, até a próxima

terça-feira, 12 de agosto de 2008

O celular foi inventado há mais de 100 anos....Será?

É, isso mesmo, meus amiguinhos. O celular, apesar de ter caído no gosto popular há pouco tempo, el tem vida longa, e completou 100 anos. Até pouco tempo atrás este aparelho não estava em nosso cotidiano e hoje quem tem faz a mesma pergunta: "Como consegui viver tanto tempo sem ele???".
Me lembro que quando eu era criança/pré-adolescente só os ricos tinham celular ( isso devia ser entre 1990 e 1995). Era um luxo só ter aqueles aparelhos que pareciam um rádio de tão grande e pesado, e a gente chamava amavelmente de tijolão, hehe.
Quem queria causar era só andar com o celular pendurado no cinto, o que sempre achei ridículo.
Meu pai comprou o aparelho dele em 1995, acho, e era a sensação lá em casa. O problema é que ele recebia poucas ligações, na época era megaultrablaster caro, bem mais que hoje. E o incoveniente era que precisava ficar umas 6 horas carregando para você usar por 2 horas no máximo, kkkk, ou seja, ficava mais na tomada do que fora.
Andei fuçando na internet e descobri e que nosso amigo inseparável pode ter mais de cem anos. Take a look:
O aparelho criado em 1891 e tinha alcance de 800m e era do tamanho de uma tampa de lata de lixo. A patente desse invento foi dada a um fazendeiro americano considerado por muitos como o inventor do precursor do telefone celular. O escritor americano Bob Lochte, professor do departamento de Jornalismo e Comunicação de Massa da Murray State University, em Kentucky, conta a história de Nathan Stubblefield no livro Kentucky Farmer Invents Wireless Telephone, lançado em 2001.
Segundo o escritor, Stubblefield foi um bom homem que queria apenas ajudar sua comunidade local conectando as casas, que ficavam um pouco distantes umas das outras, com um serviço telefônico. O professor disse que é difícil ter certeza absoluta de que Stubblefield realmente inventou o primeiro telefone móvel.
O padre brasileiro Roberto Landell de Moura, por exemplo, recebeu uma patente para o telefone sem fio nos Estados Unidos em 1904. Lochte afirma, no entanto, que Stubblefield começou a trabalhar em sua invenção em 1891 ou 1892, mas esperou 15 anos para pedir a patente. De qualquer forma, o escritor americano afirma que a tecnologia das duas invenções era diferente e nenhum dos dois aparelhos teria funcionado muito bem.

Para saber mais sobre essa e outras invenções visite o site dos Inventores. Foi lá que achei esta pérola.
Beijocas

terça-feira, 5 de agosto de 2008

Keane lança nova música na internet

Olá,
A banda britânica Keane acaba de lançar em seu site oficial uma música que pode ser baixada gratuitamente, a música se chama Spiralling e faz parte do novo CD que eles vão lançar em outubro. A música é apenas uma palhinha. Eu fiz meu download correndo, claro, pois sou fã da banda há dois anos. Aliás, eu descobri uma coisa, adoro banda britânica, não sei porque, talvez pelo sotaque.
O Keane descobri por acaso ao ver um show deles pela MTV em 2006 e me apaixonei, adorei as melodias, as letras, e toda aura que envolve a banda.
Espero que curtam a nova música.
Beijos, até a próxima

sexta-feira, 1 de agosto de 2008

No Country for Old Men


O Oscar 2008 deixou muita gente indignada, lembro-me bem. Pouca gente gostou de "Onde os fracos não têm vez" ( No Country for Old Men). Fiquei receosa, nem fui ao cinema e esperei chegar às locadoras para ver. Mesmo assim enrolei um pouco, sabe como é, vi primeiro os que me interessava.

Esta semana conferi o filme e ele não é de todo mal. Eu gostei, é um filme mediano, que na minha opinião só fez todo o sucesso por causa da brilhante interpretação de Javier Bardem. Ele fez um psicopata como poucos, aquele cabelinho ridículo estava me irritando, mas ficou bem bizarro, ajudou a imortalizar o personagem.

Acho que a história começou bem e se arrastou um pouco do meio pro final, e alguns pontos chaves do filme ficou sem explicação. Não consegui entender, por exemplo, o envolvimento do psicopata com o tráfico, mas nem tudo é perfeito né.

Mas vale a pena só pelo Javier Bardem, ele fez todo o filme, e o Oscar dele deveria ter sido por melhor ator, e não por ator coadjuvante.


Pequena sinopse : No oeste do Texas, na década de 80, Llewelyn Moss (Josh Brolin), veterano do Vietnã, aproveita uma venda malfeita de drogas para fugir com US$ 2 milhões. Porém, ele passa a ser perseguido por um violento e implacável assassino (Javier Bardem), que nem mesmo o xerife Bell (Tommy Lee Jones) pode conter.


Gênero : Suspense


Ano : 2008


Distribuidora : Paramount Pictures Brasil

quinta-feira, 31 de julho de 2008

Dia Mundial do Orgasmo - Ai ai

Olá, pessoal
Não sei como nem porquê mas está em todo lugar: hoje é o Dia Mundial do Orgasmo. Exatamente! Acho que o melhor a fazer é colocá-lo em prática neste dia dedicado a ele. Mas como a tecnologia ainda não transcende a máquina, me resta apenas deixar para vocês uma canção super fofa que eu amoooooo, da Paula Toller e do Herbet Vianna que fala exatamente sobre esse assunto. Se você ainda não tinha prestado atenção na letra, veja com mais calma ainda. Pena não ter conseguido postar a música aqui. Um dia eu aprendo, juro!
Beijos, e aproveitem o dia! hihihi

Derretendo Satélites

Abro com as mãos, te deixo olhar
Te levo pra dentro devagar
Sempre venho aqui nesse lugar
Tomar xerez da tua boca
Provar o sal do mar, mostrar um verso
Provar um amor eterno
Onde a sua mão está agora?
A minha você sabe bem
Quanto mais tempo demora
Mais violento vem

Falando absurdos
Virando a noite
Perdendo senso
Derretendo satélites
Falando tudo
Voando a noite
Ouvindo estrelas
Derretendo satélites

Uma vez, dez, quinze, vinte, tanto faz
Não tenho mais nada pra fazer
Estou aqui pensando em você
Deixando a água correr
Provei o mar, mostrei um outro verso
Provei um amor eterno
Onde a sua mão está agora?
A minha você sabe bem
Quanto mais tempo demora
Mais violento vem, meu bem

Falando absurdos...Falando tudo
Virando a noite
Um... dois... três, quatro,cinco, seis, sete, oito...

Falando absurdos
Virando a noite
Perdendo o senso
Derretendo satélites....................

quarta-feira, 30 de julho de 2008

Cuil

Olá,

Vocês já devem estar sabendo da novidade, mas semana passada antigos engenheiros do Google criam um site de busca que promete ser o grande concorrente do nosso melhor amigo hoje em dia. O site é o Cuil, e se pronuncia "cool", e por enquanto é todo em inglês. Eu gostei, achei bem bonitinho. Mais uma opção, né.
Entra lá e depois me conta.
Beijos

terça-feira, 29 de julho de 2008

Receita de Pudim de Abacaxi

O título é sério, seríssimo! Hoje vou mudar um pouco o enfoque do blog, e passar uma receitinha super prática, rápida, para aqueles momentos em que você precisa levar uma sobremesa no almoço na sua mãe ou na sua sogra, quer fazer algo original que fuja dos tão batidos e sem gracinhas pudim de pão ( arghhhhh, não gosto), pudim de leite ou leite condensado, (que pra mim é a mesma coisa), e não tem idéia do que fazer.
Eu amo cozinhar e comer (infelizmente), e gosto de ficar fuçando, achando novas receitas, fazer coisas que nunca comi. Eu me canso facilmente dos mesmos pratos. Tem clássicos que são clássicos como o bolo de fubá da minha mãe, mas podem ter certeza que eu nunca vou fazer bolo de fubá em casa. Primeiro que já enjoei, hehehe, e segundo, sei que tem sempre na minha mãe porque desde criança ela só faz este mesmo, e terceiro, porque cada vez que entro na cozinha quero novidades, quero preparar algo diferente, e só repito de pedirem ou se ficou muito bom mesmo.
Esse fim de semana eu descobri o Pudim de Abacaxi. Gostei porque tinha abacaxi em casa, e só faltavam dois ingredientes para completar o dito cujo e impressionar no almoço na casa da sogra.
Quer aprender??? Anota aí:

Pudim de Abacaxi

1 lata de creme de leite
1 pacotinho de gelatina sabor abacaxi ( é óbvio!)
1 latinha de abacaxi em calda ( costuma vir na cesta de fim de ano da empresa ou você encontra em qualquer supermercado)

Processo culinárico : Faça primeiro a gelatina seguindo as instruções da embalagem. Depois que ela endurecer, bata a gelatina com o creme de leite no liquidificador, ponha em uma forma de pudim e misture os pedacinhos dos abacaxizinhos em calda ( pique bem picadinho). Quem preferir, pode acrescentar uma colher de açúcar quando estiver batendo.
Faça de um dia para o outro pra dar tempo de gelar bem.

Boa receita e bom pudim para vocês!
Até a próxima. beijocas

terça-feira, 22 de julho de 2008

Web Of Conspiracy - Teorias da Conspiração

Olá, tudo bem?
Alguém aí acredita em teorias da conspiração, hein?!?! Eu adoro essas histórias extra-oficiais que sempre instigam aquela dúvida, faz você ficar com a pulga atrás da orelha. Não acredito em todas, mas adoro ver as versões, porque a verdade tem várias facetas, e não recebemos tudo o que acontece de acordo com a verdade, e sim de acordo com que as pessoas querem que a gente saiba.
Exemplos famosos : Elvis Presley não morreu e estaria vivo ( ou nesta época já deve ter ido né). As teorias dizem que ele forjou a própria morte com ajuda da família para se livrar das drogas e ter uma vida tranquila em qualquer parte do mundo como outra pessoa. Há evidências disso, pessoas dizem ter fotografo homens em diversos lugares do mundo que poderiam ter sido ele, e o mais chocante de todas foi que seu pai escreveu seu nome errado na certidão de óbito: em vez Elvis Aaron Presley, ele escreveu Elvis Aron com um A só, o que o torna outra pessoa, ou seja, ele estaria vivinho rindo da cara de todo mundo em algum lugar deserto do mundo. É verdade?Não sei, ninguém sabe.
Tem a história que Paul McCartney dos Beatles seria uma fraude, que o verdadeiro teria morrido em um acidente e foi substituído por um sósia a pedido dos empresários. Irritados, os Beatles teriam dados dicas em músicas e discos que este Paul não era o verdadeiro. É verdade? Não sei, ninguém sabe.
Marylin Monroe teria sido assassinada por queima de arquivo, para não atrapalhar a vida política dos irmãos Kennedy, que ela tinha se envolvido: Jonh e Bob.
Shakespeare mal sabia escrever e suas histórias foram escritas na verdade por Henry Neville.
Entre outras.....
Dois escritores norte-americanos, James F. Broderick e Darren W. Miller, decidiram investigar essas histórias extra-oficiais de fatos marcantes e lançaram um livro nos Estados Unidos chamado Web of Conspiracy : A guide to conspiracy theory sites on internet. O livro ainda não chegou no Brasil, só é possível aquiri-lo pelo Amazon.com e custa cerca de R$ 22 mais taxas.
Este livro traz um guia de sites que contém estas e outras histórias. Se você manja inglês , dê uma olhadinha agora mesmo no Web of Conspiracy e me diga o que achou.
Bom divertimento!!!
beijos

terça-feira, 15 de julho de 2008

Livro: A revolução dos bichos

Demorei mas consegui. Fazia tempo que queria ler um dos clássicos da literatura mundial: A revolução dos bichos de George Orwell.
Eu já tinha lido 1984 dele, que adorei. Mas este estava martelando até antes do 1984. Só demorei por falta de oportunidade, pois como sempre digo, minha a fila de livros é infinita. A Amanda, que trabalha comigo, já tinha lido e comentou que não gostou, mas eu sei porquê. Ela leu “obrigada”, digamos, para a faculdade, e quando você lê um livro neste esquema dificilmente ele fica prazeroso, pois você tem metas, data, fica preocupado em decorar alguns dados, etc.
Mas eu adorei o livro, justamente porque ele faz uma alusão a nossa sociedade atual, apesar de ter sido escrito em meados na II Guerra Mundial. Conta a história de animais de uma fazenda que se rebelam contra o homem, o dono da fazenda, porque sentem-se injustiçados ao ter que trabalhar o dia todo feito escravos, dar lucro ao patrão a troco de pouca comida e consideração. Cansados, eles se reúnem e decidem fazer uma revolução e criam preceitos de uma sociedade perfeita e igualitária em que os todos os animais são iguais.
O autor mostra aí o conceito de socialismo em sua ideologia, e no início tudo dão flores. Ele mostra também como o socialismo não funciona na prática, pois aos poucos os animais vão se deixando levar, e acabam cometendo as mesmas atitudes dos humanos que eles repugnavam.
É uma fábula contemporânea de aproximadamente 130 páginas.
Vale a pena conferir. Beijos e até a próxima.

sexta-feira, 11 de julho de 2008

Filme de mafiosos : Senhores do crime


Filme é tudo de bom, principalmente de quarta-feira quando tem futebol na TV. Abre parênteses ( eu odeio futebol) fecha parênteses.

Na última quarta, dia 9, foi feriado no estado de São Paulo e aproveitei pra ir a locadora. E aluguei, entre outros, um filme de gângster: Senhores do Crime. Um gênero que vejo pouco, embora goste às vezes. Este me chamou a atenção por causa dos atores e porque fala da máfia russa, ainda desconhedica pra mim. O filme é muito bom, apesar das cenas de mutilação ( não gosto). Mas vale a pena, a história é muito intrigante, tem ação e movimento o tempo todo, não te deixa na monotonia e não fica só nas cenas clichês de mafiosos conspirando. E além do mais, tem o fofo do Viggo Mortesen.


Pequena sinopse : Anna Khitrova (Naomi Watts), médica, entra acidentalmente num esquema de tráfico sexual conduzido por russo, enquanto investiga a morte de uma jovem durante o parto que havia acontecido em seu plantão. Com pena da criança órfã, ela usa o diário que era da jovem para tentar descobrir algo sobre sua família, para que o bebê fosse encaminhado para eles. Mas o diário está em russo e ela pede ajuda à pessoa errada e acaba batendo na porta da máfia russa em Londres. Seu caminho cruza o de Nikolai (Viggo Mortensen), que tem laços estreitos com uma das famílias de crimosos mais notórias da capital inglesa.


Elenco: Viggo Mortensen, Naomi Watts, Vincent Cassel, Armin Mueller-Stahl, Sinéad Cusack, Donald Sumpter.
Direção: David Cronenberg
Produção: Robert Lantos, Paul Webster

Gênero: Drama

Ano : 2008

Distribuidora : Playart

quinta-feira, 10 de julho de 2008

Luta pela classe jornalística




Entra ano, sai ano, é sempre a mesma coisa. Jornalistas de todo o Brasil lutam o tempo todo. Primeiro pelo direito de ter um diploma e uma profissão regulamentada, o que só ocorreu em 1969. Agora lutam para que esta lei não caia e volte a ser como era. Antes, qualquer pessoa poderia ser jornalista. Geralmente encontravam-se nas redações médicos, advogados, contabilistas, ou jornalistas mesmo, mas sem o diploma. Quem tivesse o dom e a habilidade da profissão poderia exercer.


A regulamentação e a obrigatoriedade do diploma deixou muita gente irritada, pois agora é preciso estudar 4 anos em uma universidade para ter o direito de exercer a profissão. E tem muita gente nas redações que estão aí porque conhecem alguém que conhece alguém, ou que tem rabo preso, ou indicação política, ou ainda é da turma antiga, da época que o diploma não era necessário. Isso faz com que velhos jornalistas busquem a qualquer custo a queda da obrigatoriedade do diploma, ou seja, voltaremos a estaca zero. Qualquer um que prove que fez uma matéria pro jornalzinho da escola poderá se dizer jornalista.


Não sou a favor da indústria do diploma, mas concordo que o profissional, de qualquer área que seja, deve ser especialista no que faz e deve fazê-lo, mesmo que para isto ele precise ficar 4 anos na faculdade. Ainda mais nos dias que hoje, em que já é difícil encontrar bons profissionais com certo nível cultural formados, imagine sem diploma, isso vai virar um forróbodó.


Entro na luta pela minha profissão que tanto amo, e pelos meus colegas.



quinta-feira, 26 de junho de 2008

Vídeo : Entrevista muito louca

Oi, gente!
Dentre as centenas de e-mails que recebo diariamente, hoje veio um vídeo muito engraçado da minha amiga Larissa. ( Ela me manda vários e-mails toda semana, sempre com coisas engraçadas, mas este é o the best of). Como ando um pouco atarefada, não vai dar tempo de escrever sobre filmes ou livros.
Espero que gostem. Não sei o que esta mulher tomou, mas que fez efeito, isso fez.
Beijos, amanhã eu volto.

video

segunda-feira, 23 de junho de 2008

A Viagem de Théo


Olá, amigos

Desculpem minha ausência, mas novamente é por motivo de força maior. Trabalho excessivo. Bom, hoje vou recomendar um livro super bacana que já estou no final : A Viagem de Théo, da francesa Catherine Clément. O livro conta a história de um adolescente, vítima de uma doença grave a ameaçar sua vida mas que o tempo todo é suspense no livro, nem o garoto sabe o que ele tem. Ele recebe uma proposta de sua tia rica para fazer uma viagem pelos lugares sagrados e cidades santas das diversas religiões. No contato com o misticismo, as religiões e seus rituais, Theo vai encontrando forças que desconhecia e vai melhorando seu estado de saúde.

Através desta viagem é possível aprender a história das religiões: judaísmo, cristianismo, islamismo, passando pelas crenças de povos primitivos até a reforma protestante, do panteísmo às seitas mais radicais, dos pensamentos mais ecléticos e tolerantes aos fanatismos mais exacerbados. Na viagem, Theo visita em Jerusalém o Muro das Lamentações, o Túmulo de Jesus e a Cúpula do Rochedo, símbolos do Judaísmo, do Cristianismo e do Islamismo, que convivem nessa cidade três vezes santa. E o legal é que o livro não fica só nisso. Ele explora outras religiões pouco difundidas no ocidente.

Ele conhece o Egito. Na Índia conhece o Hinduísmo, Budismo, Jainismo, Islamismo, a antiga fé de Zoroastro, vinda do Irã e toma contato com os Sirkhis. A Yoga, o Taoísmo e o Xintoísmo são também abordados neste livro, através da luta de Théo com sua doença, mostrando também o sincretismo das religiões africanas influenciadas pela catequese cristã no Brasil e no Caribe.

Dá para aprender um pouco de cada uma numa leitura super agradável. Ás vezes os personagens se tornam um pouco chatos, e o livro é super longo, tem umas 630 páginas, mas vale a pena reservar 1 hora por dia para lê-lo.

Quem gostou pode comentar.

Boa semana à todos, beijos e boa leitura.

sexta-feira, 13 de junho de 2008

Caco Barcellos recebe título de cidadão ribeirãopretano na Feira do Livro


Reconhecido em todo o Brasil, por suas reportagens especiais, de interesse político-social, o jornalista Caco Barcellos esteve ontem na 8ª edição da Feira do Livro de Ribeirão Preto para participar do Salão de Idéias no Theatro Pedro II. Antes de começar o debate, o jornalista recebeu o Título de Cidadão Ribeirãopretano. A iniciativa da homenagem é da vereadora Fátima Rosa, PT.
Além do título, Caco recebeu presentes de dois jovens da Casa das Mangueiras, entidade sem fins lucrativos que cuida de crianças e adolescentes em situação de risco em Ribeirão Preto. A banca estava composta pela jornalista Renata Carvalho, a diretora da Casa das Mangueiras Sueli Danhone, o presidente da Câmara Municipal, Leopoldo Paulino, a vereadora Fátima Rosa e o vereador Beto Cangussú.
Após a solenidade, o jornalista Ângelo D´Avanço intermediou o debate entre Caco Barcellos e o público. Entre vários assuntos, Caco falou da importância de se apurar bem os fatos antes de divulgá-los. “Prefiro dar a notícia completa do que dar primeiro. Não posso cometer a injustiça de divulgar os fatos sem antes ouvir todos os lados”, afirma.
Ele comentou sobre a divulgação sensacionalista do caso Isabella e como a polícia faz uma investigação correta e eficiente em casos de família de classe média. “Infelizmente casos como este acontecem mais do que queremos acreditar, mas em sua maioria são casos de família de classe pobre, e as investigações quase nunca prosseguem”, comenta.
Caco Barcellos nasceu em Porto Alegre, onde iniciou sua carreira de repórter no jornal Folha da Manhã. Foi destaque em veículos da imprensa alternativa dos anos 70, durante a ditadura, e passou pelas revistas Istoé e Veja. Também atuou como correspondente internacional da Rede Globo, emissora na qual coordena atualmente o programa Profissão Repórter.
Literatura – Sua estréia na literatura foi com a obra “Nicarágua: a Revolução das Crianças”. Seus livros mais conhecidos são “Rota 66” (Prêmio Jabuti 1993), na qual o repórter aponta 4.200 pessoas, de origem pobre, mortas pela Polícia Militar de São Paulo; e “Abusado, o dono do Morro Dona Marta” (Prêmio Jabuti 2004), que conta a história dos traficantes no Rio de Janeiro.
Esta matéria foi feita por mim e publicada no Ribeirão Preto Online em 10/6/2008. Quem quiser conferir esta e outras matérias sobre a Feira do Livro de Ribeirão, que acontece de 6 a 15 de junho,acesse http://www.ribeiraopretoonline.com.br/

sexta-feira, 6 de junho de 2008

Morre poeta venezuelano Eugenio Montejo

O poeta e ensaísta venezuelano Eugenio Montejo morreu em uma clínica da cidade de Valência em decorrência de um câncer estomacal, informaram nesta sexta-feira (6) diferentes veículos de comunicação locais. Montejo, nascido em Caracas em 1938 e um dos poetas mais representativos do país, estava desde semana passada internado no Centro Policlínico Valencia, cerca de 120 quilômetros ao oeste de Caracas, e morreu à meia-noite da última quinta-feira. Escritor e diplomata, ele venceu em 1998 o Prêmio Nacional de Literatura e foi embaixador da Venezuela em Portugal durante vários anos. O poeta publicou livros como "Elegos" (1967), "Muerte y Memoria" (1972), "Algunas palabras" (1977), "Terredad" (1978), "Trópico Absoluto" (1982) e "Alfabeto del Mundo" (1986).

Um pouquinho de Eugenio:

AMANTES

Se amaban. No estaban solos en la tierra;
tenían la noche, sus vísperas azules,
sus celajes.

Vivían uno en el otro, se palpaban
como dos pétalos no abiertos en el fondo
de alguna flor del aire.

Se amaban. No estaban solos a la orilla
de su primera noche.Y era la tierra la que se amaba en ellos,
el oro nocturno de sus vueltas,
la galaxia.

Ya no tendrían dos muertes. No iban a separarse.
Desnudos, asombrados, sus cuerpos se tendían
como hileras de luces en un largo aeropuerto
donde algo iba a llegar desde muy lejos,
no demasiado tarde.

terça-feira, 3 de junho de 2008

Devaneios sobre O caçador de pipas


PS. Uau! Junho, meio do ano!!!!!! Deus, como passa rápido!!!!

Olá, pessoal.


Chegou nas locadoras esta semana o filme O caçador de pipas (The Kite Runner). Não demorei e já aluguei pois não deu tempo de vê-lo na telona. Eu já conhecia a história pois, como meio mundo, já tinha lido o livro. Me apaixonei pelo livro, mas confesso que quando li estava sempre com um nó na garganta, com vontade de chorar e espancar o Amir jan. Pois o que ele faz com Hassan, seu mais fiel amigo, deixa qualquer um nervoso. No livro é possível mergulhar mais profundamente no universo dos personagens e entender um pouco mais o porquê de algumas ações, e conseguimos acompanhar a evolução do personagem e sua redenção. Mesmo assim, a película conseguiu expressar isso muito bem.
O filme é muito bom, uma das poucas adaptações de livros que é bem fiel ao original. A equipe toda se empenhou muito para fazer um trabalho excepcional. Inclusive o jovem diretor Marc Foster, que fez de tudo para conseguir atores nativos para que o filme fosse falado em dari, a língua local, e conseguiu com maestria. Assim, o filme teve outra poética, pois seria estranha mostrar o Afeganistão da década de 70 com duas crianças falando inglês, né.
A opinião do livro é unânime, quase todo mundo gostou. Há quem não se empolgou, mas acredito que isso seja fruto de uma expectativa gigantesca em relação a alguma coisa, e no fim parece que não é nada daquilo, sei lá.

Uma dica que aprendi sozinha com a vida : Nunca crie expectativas demais em relação a coisa alguma pois é muito mais fácil você se decepcionar. Como eu digo sempre ao meu marido e meus amigos : Prefiro me surpreender a me decepcionar.
Então, quando alguém (como eu, principalmente neste blog, pois este é o objetivo dele hehe ) te indicar qualquer coisa, aceita (ou não) a sugestão e vá conferir com seus próprios olhos para tirar suas próprias conclusões, pois nossas opiniões vão de encontro com vários aspectos, como personalidade, preferências, visões de mundo e história pessoal, por isso uma mesma cena pode ser vista de maneira totalmente diferente para cada um de um mesmo grupo de pessoas. Nossa, filosofei hoje. Bom.....
Para quem ainda não leu o livro : Leia! Já é um clássico mundial e se você não ler vai ficar por fora em assuntos do gênero e está perdendo a oportunidade de saber mais sobre o Afeganistão.
Para quem já leu: Veja o filme! É o mesmo que ler o compacto do livro.
Dica fundamental para qualquer adaptação: Ler e depois ver o filme.

Tá dado o recado!

Beijos, boa terça


PS2. Parece que agora vai começar o friozinho.

sexta-feira, 30 de maio de 2008

A música - Baudelaire

Oi, pessoal
Hoje é sexta-feira e claro que estou cansadérrima. Então vou encerrar a semana com uma poesia, como sempre tenho feito. Hoje será de Charles Baudelaire, poeta francês (1821-1867).

A MÚSICA


A música me arrasta às vezes como o mar!
No encalço de um astro,
Sob um teto de bruma ou dissolvido no ar,
Iço a vela ao mastro;

O peito para frente e os pulmões enfunados
Tal qual uma tela,
Escalo o dorso aos vagalhões entrelaçados
Que a noite me vela;

Sinto que em mim ecoam todas as paixões
De um navio aflito;
O vento, a tempestade e suas convulsões

No abismo infinito
Me embalam. Ou então, mar calmo, espelho austero
De meu desespero!

quinta-feira, 29 de maio de 2008

Ribeirão Preto Online - O novo jeito de ver Ribeirão

Oi, gente
Hoje vou puxar a sardinha para o meu lado e a dica é o site que eu edito ( hehe): o Ribeirão Preto Online. Quem ainda não conhece, faça-me o favor de entrar clicando aqui. O Ribeirão Preto Online está de cara nova e o novo layout entrou no ar hoje a tarde, após meses de trabalho. Está mais leve, dinâmico, com mais notícias na capa e a cada dia estamos aprimorando as seções de serviços e as editorias.
A cada novidade do site, vou postar aqui.
Quero parabenizar ao Rafael ( webdesigner) que fez o novo layout e as meninas da equipe, que estão no corre com as matérias e atualizações: Aline e Amanda, e Carol ( fotógrafa).
Valeu, pessoal!
Beijos e boa quinta!
www.ribeiraopretoonline.com.br

quarta-feira, 28 de maio de 2008

Mulher lê mais que homem, aponta pesquisa nacional

Olá, to voltando mais rápido que nunca, hein. Agora posso me dedicar um pouco mais ao blog.
A visita de hoje é só para deixar uma notícia que saiu na Folha Online hoje. Veja :

Mulher lê mais que homem, aponta pesquisa nacional
da Folha de S.Paulo, em Brasília

As mulheres lêem mais que os homens, diz a pesquisa Retratos da Leitura no Brasil, que será divulgada hoje, em Brasília.
O estudo, elaborado pelo Instituto Pró-Livro, mostra que população está acostumada a dedicar muito pouco --ou quase nenhum-- tempo aos livros. Do total dos leitores, 55% são do sexo feminino, público maior em quase todos os gêneros da literatura -os homens lêem mais apenas sobre história, política e ciências sociais.
Segundo a pesquisa, a Bíblia é o livro mais lido pela população brasileira --43 milhões de pessoas já a leram, dos quais 45% afirmaram fazê-lo com freqüência.
O segundo colocado é o livro "O Sítio do Picapau Amarelo", de Monteiro Lobato, apontado como o escritor mais lido no Brasil. A lista dos escritores brasileiros mais lidos inclui ainda, pela ordem, além de Lobato, Paulo Coelho, Jorge Amado e Machado de Assis.

Ps. Gente, vamos mudar este quadro e nos dedicar um pouco mais à leitura, né. O leitor assíduo escreve melhor, tem argumentos, discernimento, assunto pra conversar, conhecimento, raciocínio rápido, bagagem cultural, entre milhares de outras qualidades. Como dizia minha professora do ensino fundamental, tia Vera, podem tirar tudo de você, menos seu conhecimento.
Você tem tempo para um monte de coisas, trabalhar, dormir, estudar, ficar horas no computador e na televisão, tomar uma cervejinha com os amigos, ficar batendo papo com o vizinho, com o amigo no telefone, entre milhares de coisas. Porque não subtrai um pouquinho de tempo de tudo isso e não tire alguns minutos do dia para ler??? Hein??
Tá dado o recado, beijos

terça-feira, 27 de maio de 2008

Dicas culturais para encarar o Holocausto

Se há algo que eu definitivamente não consigo entender, é o que aconteceu na Alemanha na primeira metade do século XX, as barbáries que foram cometidas no Holocausto. Pelamordedeus, alguém pode me explicar o que foi aquilo? Anos se passaram, pouquíssimos sobreviventes estão aqui para contar o que realmente aconteceu (e nem quero mais ouvir, pois estou cansada de saber) e mesmo assim não há nada que seja capaz de apagar essa mancha que a Alemanha vai carregar para sempre consigo. Nenhum episódio na humanidade foi tão chocante, e nunca haverá. Não há adjetivos que descrevam o que os alemães fizeram com famílias inteiras, cidades, estados e países.
O assunto é desagradável, eu sei, mas esta é uma parte da história da qual não podemos fugir, por mais que queiramos nos esconder dentro de conchas submersas no mais profundo oceano, o Holocausto vai nos perseguir para sempre. Principalmente aos alemães.
Esse nariz de cera gigante foi apenas para dar duas indicações: um filme e um livro sobre o Holocausto. Como eu, você já deve ter visto milhares de coisas a respeito. Eu vi tanto, na faculdade inclusive, que até cansei. Chegou uma hora que nem chorar eu conseguia mais, ficava apenas um torpor a cada fim de livro ou filme, ou documentário.
O filme que indico e que é muito bom é O Pianista. Nem vou falar muito sobre ele, pois você já deve ter visto. Roteiro, direção e atuações fantásticas. Mas eu confesso, tenho o filme em casa mas eu não assisto nunca mais. É tipo O óleo de Lorenzo, você assiste uma vez, chora, quase morre e nunca mais quer ver, porque uma vez só já bastou para toda a vida. O Pianista é assim. Recomendo que vejam, nem que seja uma vez na vida.
O livro que acabei de encerrar esta tarde foi A menina que roubava livros, do jovem australiano Markus Zusak. Uma narrativa apaixonante de uma menina que se torna amante das palavras e rouba livros em meio à Alemanha nazista exterminadora de judeus. O autor mostrou o outro lado da II Guerra Mundial, em que nem todos os alemães faziam parte da loucura do Führer. Traz personagens secundários que dão todo o lirismo a história e nos transporta para aquela época de medo e tensão.
Duas dicas poéticas para encarar de frente o nazismo. Topas?
Beijos, boa terça

segunda-feira, 26 de maio de 2008

Dica de filmaço com tema jornalístico : O resgate de um campeão


Olá!

Este feriado foi meio xoxo, confesso. Mas deu pra descansar, adiantar bem a leitura de A menina que roubava livros ( sehr gut = muito bom!!!!) e pra ver um filme óteeeemo, principalmente para quem é jornalista, como yo. Adoro filmes com temas que envolvem jornalismo, claro.

Trata-se de um super lançamento, deve ter chegado essa semana nas locadoras. O filme se chama O resgate de um campeão e conta a história real de um repórter esportivo Erik (o fofíssimo Josh Hartnett), que encontra um sem-teto e acredita que ele seja Bob Satterfield ( Samuel L. Jackson), uma lenda do boxe, que todos acreditavam estar morto. Assim, surge para o jovem a oportunidade de uma grande matéria, resgatando a história de um campeão. Acreditando apenas no que diz o tal Bob, ele escreve a história, alcança o sucesso, mas não pára por aí. Não vou contar o que acontece porque senão perde a graça, mas o filme tem um reviravolta empolgante e dá uma lição de jornalismo e nos ensina a sempre checar todas as fontes antes de publicar algo, nem que demore mais que o previsto.

Esta jornada do ambicioso repórter transforma-se em uma viagem pessoal, na qual ele reexaminará sua própria vida e seu relacionamento com a família.

Jornalistas ou não, o filme vale para quem gosta de uma história bem contada.


Direção : Rod Lurie


Elenco : Peter Coyote, Alan Alda, Teri Hatcher, Josh Hartnett e Samuel L. Jackson


Gênero : Drama


Ano : 2008


Distruibuidora : Focus Filmes


quarta-feira, 21 de maio de 2008

Uma pitada de Pablo Neruda para fechar o dia

Oiii, gente

Conheci o poeta chileno Pablo Neruda aos 14 anos, no auge do meu lirismo e romantismo adolescente, quando só lia poemas e histórias de amor daquelas de chorar mesmo. Gostei muito do estilo de Pablo, e quando assisti o Carteiro e o Poeta na escola, me senti super íntima do escritor, pois eu era a única na turma que conhecia seus textos. Abaixo segue um lindo poema, para fechar o dia.

O teu riso

Tira-me o pão, se quiseres,
tira-me o ar, mas não
me tires o teu riso.

Não me tires a rosa,
a lança que desfolhas,
a água que de súbito
brota da tua alegria,
a repentina onda
de prata que em ti nasce.

A minha luta é dura e regresso
com os olhos cansados
às vezes por ver
que a terra não muda,
mas ao entrar teu riso
sobe ao céu a procurar-me
e abre-me todas
as portas da vida.

Meu amor, nos momentos
mais escuros solta
o teu riso e se de súbito
vires que o meu sangue mancha
as pedras da rua,
ri, porque o teu riso
será para as minhas mãos
como uma espada fresca.

À beira do mar, no outono,
teu riso deve erguer
sua cascata de espuma,
e na primavera, amor,
quero teu riso como
a flor que esperava,
a flor azul, a rosada minha pátria sonora.

Ri-te da noite,
do dia, da lua,
ri-te das ruas
tortas da ilha,
ri-te deste grosseiro
rapaz que te ama,
mas quando abro
os olhos e os fecho,
quando meus passos vão,
quando voltam meus passos,
nega-me o pão, o ar,
a luz, a primavera,
mas nunca o teu riso,
porque então morreria.

Pablo Neruda - 1904-1973

segunda-feira, 19 de maio de 2008

Zélia Gattai deixa grandes obras literárias


A escritora Zélia Gattai Amado, mulher de Jorge Amado e que atualmente ocupava a 23ª cadeira da Academia Brasileira de Letras, morreu na tarde deste sábado (17), aos 91 anos, em Salvador. Gattai estava internada desde o dia 17 do mês passado, quando passou por uma cirurgia de desobstrução do intestino. Além de escritora, Zélia era amante da fotografia, e registrou inúmeros momentos de sua vida ao lado do Jorge Amado, com quem viveu por 56 anos. Confesso que ainda não li nenhuma de suas obras por falta de oportunidade, também....são tantos livros neste mundo e tão pouco tempo. Precisaria viver 100 vidas para ler tudo o que já foi publicado, Às vezes nem isso. Mas já estou providenciando um exemplar de Anarquistas Graças a Deus, seu primeiro livro.

Mas posso dizer com a boca cheia que adoro o Jorge Amado, já li vários livros dele e Capitães da Areia foi o primeiro romance que li, quando eu tinha apenas 12 anos.

Bom, mas como o assunto é a Zélia, listo abaixo todos os seus livros, quem sabe você não se anima e consiga ler primeiro que eu. Beijos, até


Obras de Zélia Gattai


Anarquistas Graças a Deus, 1979 (memórias)

Um Chapéu Para Viagem, 1982 (memórias)

Pássaros Noturnos do Abaeté, 1983

Senhora Dona do Baile, 1984 (memórias)

Reportagem Incompleta, 1987 (memórias)

Jardim de Inverno, 1988 (memórias)

Pipistrelo das Mil Cores, 1989 (literatura infantil)

O Segredo da Rua 18, 1991 (literatura infantil)

Chão de Meninos, 1992 (memórias)

Crônica de Uma Namorada, 1995 (romance)

A Casa do Rio Vermelho, 1999 (memórias)

Cittá di Roma, 2000 (memórias)

Jonas e a Sereia, 2000 (literatura infantil)

Códigos de Família, 2001

Um Baiano Romântico e Sensual, 2002